top of page
  • Foto do escritorGUIA MIRAI

QUEM ERA O MÉDICO MURIAENSE MORTO COM TIRO NA CABEÇA DURANTE TENTATIVA DE ASSALTO NA ZONA NORTE DE SP


Nascido no interior de Minas Gerais, psiquiatra de 35 anos vinha de uma família de médicos. Ele foi abordado dentro do carro por três criminosos; segundo a polícia, vítima teria sido atraída para um suposto encontro marcado por aplicativo de relacionamento.


O médico Heleno Veggi Dumbá, de 35 anos, foi baleado e morto na noite desta sexta-feira (29), durante um assalto no Jardim Elisa Maria, na Zona Norte de São Paulo.


Nascido em Muriaé, município no interior de Minas Gerais, o psiquiatra vinha de uma família de médicos e era formado em medicina pela Universidade de Iguaçu (UNIG), no Rio de Janeiro;

Ele foi bolsista do Prouni, o programa do Governo Federal de acesso ao ensino superior;

Durante a faculdade, Heleno participava da organização de festas universitárias;

Nas redes sociais, o médico demonstrava seu interesse por tatuagens.

Atualmente, Heleno trabalhava em um Centro de Atenção Psicossocial (Caps) e numa clínica particular em Caieiras, na Grande São Paulo.


A família do jovem médico prestou homenagens nas redes sociais:


"Meu filho foi morar com Deus", disse o pai.

A irmã Hamanda Veggi, que também é médica e atua no interior de Minas Gerais, lamentou a morte do irmão: "Sua partida precoce foi fruto de uma sociedade egoísta, cruel e sem justiça", disse.


"Te amo, como você diz: a eternidade é o nosso compromisso", complementou.


'Golpe do amor'

Moradores do Jardim Elisa Maria relataram à polícia que, por volta das 21h40, presenciaram três homens tentando assaltar o médico, que estava dentro de um carro.


Logo depois, ouviram os barulhos dos disparos. Os criminosos fugiram a pé na direção de uma praça onde ocorria uma festa.


Os investigadores acreditam que o psiquiatra tenha sido atraído para o local por meio de encontro marcado em aplicativo de relacionamento.


"Aqui é uma região bastante utilizada pelos criminosos para atrair vítimas a pretexto de realizar encontros por meio de aplicativos de relacionamento, né? Então, acredito que a principal linha de investigação nesse momento preliminar vai nesse sentido", afirmou o delegado César Bastos Queiroz.


A polícia tenta identificar e prender os responsáveis.


De acordo com o delegado, os criminosos teriam se assustado com o disparo e fugiram levando somente a chave do veículo.


"A única coisa que a gente não conseguiu localizar foi a chave do veículo. Ela estava com a carteira, celular, todos os pertences. Uma mochila. A gente não conseguiu verificar nada que tenham levado, a não ser a chave do veículo".


O delegado reforça o alerta sobre a região e os chamados 'golpes do amor'. O crime consiste no uso de identidades falsas para atrair pessoas, envolvê-las emocionalmente em um suposto relacionamento a distância e, em seguida, assaltar ou ganhar dinheiro com fraude ou extorsão.


"Aqui já é uma área escolhida pelos criminosos justamente por isso, por essa dificuldade da investigação. Vocês podem ver que não tem câmeras de monitoramento, tem bastante quantidade de árvores. À noite é bem escuro. Então, a gente tomou todas as providências possíveis naquele momento da localização do corpo, e vai ser instaurado um inquérito para saber por qual motivo ele estava aqui e quem foi que rendeu essa vítima e efetuou esse disparo nela."




GUIA MIRAI

(por G1 Zona da Mata)

Kommentarer


bottom of page