top of page
  • Foto do escritorGUIA MIRAI

"PESADELO": MISS MINAS GERAIS 2024 DEIXA CONCURSO E NÃO VAI PARTICIPAR DO MISS BRASIL


Minas Gerais, estado tradicional em concursos de beleza, pode não ter uma representante no Miss Brasil 2024. Daniela Oliveira, eleita a miss do estado em março deste ano, não poderá participar do concurso após problemas com a organização e por não possuir nacionalidade brasileira. A modelo é luso-brasileira.


Em desabafo nas redes sociais, Daniela compartilhou que ser miss era "um sonho que acabou se tornando um pesadelo".


Entenda o que aconteceu:


A repercussão da possível saída de Daniela do concurso começou nesta terça-feira (07 de maio) quando Dirley, organizador do Miss Universo Minas Gerais, anunciou que deixaria o cargo. O até então coordenador estadual afirmou que a decisão acontece devido à mudança na direção do concurso nacional, que agora é gerida por Gerson Antonelli, CEO do Miss Teen Brasil.


Dirley disse, em nota, que tentou negociar com o novo dono do Miss Brasil, mas o valor de licenciamento exigido para a franquia estadual era "extremamente abusivo". Logo em seguida, o Instagram do Miss Universo Minas Gerais, onde o pronunciamento oficial foi divulgado, foi desativado.


Eleita a miss do estado em março, em Barbacena, Daniela Oliveira também usou o Instagram para informar que realmente não participaria do concurso nacional. A modelo de 27 anos não poupou críticas à organização e afirmou que chegou a colocar a saúde mental em risco.


Veja desabafo:


"Para fins de esclarecimento, venho por meio deste anunciar que não participarei do Miss Universe Brasil. Estou completamente desolada. Houveram muitas questões contratuais que me fizeram me manter em silêncio por todo esse período, brincaram com meu sonho e com minha autoestima. A coordenação, na qual fui representada, em todo esse período não honrou com a palavra e o dever de me avisar de quaisquer que fossem os empecilhos que me causaria algum tipo de transtorno ou até mesmo impossibilidade de participar do concurso, mesmo com um contrato que me asseguraria o direito de participar. Um sonho que acabou se tornando um pesadelo, onde coloquei a minha saúde mental em jogo, me frustrando e me calando por situações que ainda não posso falar", escreveu.


Oliveira também afirmou que só se deu conta de que estaria fora quando viu a nota divulgada pela Coordenação Estadual:


"Eu fui surpreendida com a notícia somente quando saiu a nota da Coordenação Estadual, momento em que a organização Nacional através do seu presidente prontamente entrou em contato comigo oferecendo todo apoio para que eu continuasse no concurso. Estou aqui em respeito a todos vocês que vibraram e abraçaram esse sonho comigo. Peço desculpas por todo ocorrido", finalizou.


O que diz o Miss Universe Brasil:


A organização nacional se pronunciou sobre a polêmica no Miss Minas Gerais. Segundo a nova direção, Dirley não tinha autorização para prometer a candidata participação no concurso nacional e que tentou negociar com a organização do estado mineiro autorização da franquia, mas um acordo não aconteceu.


A nota termina afirmando que Daniela foi procurada, mas a decisão de desclassificá-la acontece porque a modelo não é brasileira:


"Consultamos o departamento jurídico do concurso internacional, o qual, oficialmente, nos confirmou que ela não poderia participar em qualquer fase do concurso nacional porque não atende uma das principais exigências estabelecidas no regulamento oficial do concurso internacional, qual seja, possuir nacionalidade brasileira, bem como o passaporte nacional", diz o comunicado.


O Miss Brasil Universe acontece em agosto e Minas Gerais não tem representante até o momento. O estado é o 2º maior vencedor do concurso , com 9 vitórias, ficando atrás apenas do Rio Grande do Sul.


GUIA MIRAI

(Por O Tempo)

Comments


bottom of page